APARELHOS DE PESCA


Nas três modalidades de pesca ao fundo da costa; surfcasting, beach-ledgering e rockfishing, os aparelhos que usamos são fundamentais para o nosso sucesso desportivo, e consoante as condições do mar ou as espécies que procuramos assim os devemos construir (entendo por aparelhos de pesca, a linha onde se fixam os anzóis e a chumbada e que se prende por baixo do "fio de choque".


Muitos dos aparelhos que utilizamos para a pesca da costa são perfeitamente adaptáveis à pesca de embarcação e as técnicas que utilizamos para os construir bem como os materiais, são também os mesmos.
Basicamente necessitamos de fio de pesca de várias espessuras, pérolas ou missangas, destorcedores e clipes de engate rápido. Para alguns aparelhos mais específicos precisamos também de arame de aço inox de espessura entre 0,3 e 0,5 mm, de alicates de pontas e de corte para trabalhar o arame.

Princípios gerais para a construção de um aparelho de surfcasting

Segundo a legislação actual, o número máximo de anzóis que um aparelho pode ter é de três. Pessoalmente utilizo na grande maioria das situações um ou dois anzóis. Todos os aparelhos que aqui vos vou falar têm como base este princípio. A linha do aparelho deve ter uma espessura entre 0,25 mm e 0,50 mm e um tamanho que pode variar entre 1,5 metros e 3 metros.

A figura que se segue mostra-nos um aparelho com dois anzóis para todo o tipo de pesca na praia.
Este aparelho costumo fazê-lo com linha 0,45, a distância entre os destorcedores de 1,80m. 0 destorcedor utilizado para prender ao fio de choque é o n." 10 e os destorcedores para prender os estralhos são o n." 12.
0 nó de travamento que utilizo para prender os destorcedores é de fácil execução.

Nó de travamento

1 - Passa-se três vezes a linha à volta do fio do aparelho,
2 - Faz-se uma argola e passa-se novamente três vezes à volta do fio do aparelho e por dentro da argola,
3 - Lubrifica-se e aperta-se lentamente o nó. Finalmente cortam-se as pontas.
Para terminar a construção do aparelho falta-nos apenas as "pontas", isto é, o destorcedor que une o aparelho ao fio de choque e o clipe de engate rápido que prende a chumbada ao aparelho. 0 nó que utilizo para ambos os casos chama-se "Improved Clinch" e realiza-se da seguinte forma:
1- Passa-se o fio pelo destorcedor e dão-se pelo menos seis voltas sobre a linha com a ponta que se passou pelo destorcedor.
2 - Passa-se o fio pela argola formada junto ao destorcedor,
3 - A operação anterior origina uma nova argola por onde se deve passar de novo o fio,
4 - Lubrifica-se e aperta-se lentamente o nó.
Este aparelho é o que mais utilizo na pesca. Por vezes, quando quero utilizar um estralho mais comprido retiro o anzol de cima e aumento o tamanho do estralho de baixo. Todavia a minha preferência vai para a pesca com dois anzóis, onde posso experimentar simultaneamente diferentes iscas ou anzóis ou mesmo a espessura da linha dos estralhos.
No entanto quando o mar trás muita força por baixo, ou quando a "corrente" de maré é muito forte, os estralhos têm tendência a enrolar-se em volta do aparelho. Nestas circunstâncias os anzóis devem trabalhar por cima da chumbada e com estralhos mais curtos. Se o mar continuar a enrolar os estralhos, devemos aumentar a espessura do fio que empata os anzóis e diminuir o tamanho dos estralhos. Se mesmo assim a "pesca" vier toda enrolada, ou procuramos outro pesqueiro, onde a corrente seja menos forte e mais constante ou o melhor será irmo-nos embora.

A Rabeira

Quando a maré está a vazar ou a ondulação está a "correr" a praia (ondulação quase paralela à linha de costa), a rabeira parece que inventa o peixe e já passei por dezenas de situações em que só apanha peixe quem usa uma rabeira.


O seu tamanho depende dos gostos e perícia do pescador, há quem as faça com 4 ou 5 metros e há quem as faça com mais de 10 metros! A figura que se segue representa o tipo de rabeira que mais utilizo e que me tem dado óptimos resultados.
Na pesca nas rochas normalmente utilizo só um anzol. A utilização de mais anzóis não é aconselhável por razões óbvias. Quantos mais anzóis utilizarmos mais dificuldades temos em retirar o aparelho da água sem que este se prenda nas pedras ou algas. Assim o melhor é simplificar o aparelho e utilizar apenas um anzol.


O aparelho que mais utilizo nas pedras é muito semelhante, na construção, à rabeira. Trata-se de um aparelho com a chumbada a correr e com um estralho muito curto, para evitar a prisão nas pedras. Em acção de pesca a linha fica solta para que o peixe não sinta a chumbada e possa puxar a isca sem desconfiar. A figura seguinte mostra-nos um esquema deste aparelho.


António Xavier

volta2[1].gif (867 bytes)